Comportamento

A IMPORTÂNCIA DA PAUSA

Saindo do piloto automático
Um novo dia começa…
Você acorda e não abre a janela pra ver o sol. Sim! Ele está lindo hoje.
Sai apressadamente… 
Quando se dá conta, já chegou ao seu destino. Sem perceber o trajeto, você está lá!

Daí passa a hora do almoço, do jantar e de dormir. E, assim, os dias, semanas, meses e anos vão sumindo num piscar de olhos. E vem aquela frase típica: “Nossa, esse ano passou rápido né?”

Viver no piloto automático é um estado mental em que as nossas ações são desempenhadas sem uma intenção consciente do momento presente. É continuar repetindo padrões e até mesmo estabelecer uma rotina de comportamento inconsciente diariamente.
Mas, isso não é de todo mal. Fazer as coisas em piloto automático é uma vantagem evolucionária. Imagina só o tempo que levaríamos para decidir coisas simples (comer e escrever, por exemplo) caso essa funcionalidade não fosse desenvolvida pelo nosso cérebro. Estamos em piloto automático também para facilitar com que todos estes hábitos se processam na sua vida de maneira mais rápida.
O problema, na verdade, está quando nos submetemos o tempo inteiro a esse comportamento. É como se estivéssemos sempre adormecidos e anestesiados, sem uma ligação de qualidade às coisas e às pessoas que nos rodeiam, naquela sensação de que tudo vai perdendo o sentido.

Um exercício simples para você sair do piloto automático é PARAR…isso mesmo! 

Tim Gallwey, o pai do coaching, apelidou a STOP como a mãe das ferramentas. Ela é utilizada para fazer com que você tome consciência do seu comportamento e faça uma escolha racional, principalmente acerca daquilo que você estabeleceu como meta.

A aplicação dela é feita em quatro passos básicos. A ferramenta consiste em, basicamente, parar o que se está fazendo, pensar no que se está fazendo, reorganizar (o pensamento, o meio, as atitudes) e finalmente proceder de forma mais racional.

S – STEP BACK (RETROCEDER): Tomar distância entre você e tudo com o que você está envolvido naquele momento. Dê um passo para trás e olhe a situação de fora!

T – THINK (PENSAR): Momento de reflexão dos fatos como eles são. Priorize o pensar e não o sentir.Tome consciência!

O – ORGANIZE (ORGANIZAR): Dê sentido, considere as prioridades e forneça uma clara sequência de ações.

P – PROCEED (PROSSEGUIR). Cérebro renovado e limpo, hora de voltar para o jogo. Estar mais conectado consigo mesmo e suas motivações.  Vá!

Sair do piloto automático é um desafio de crescimento pessoal. Afinal, mesmas ações, mesmos resultados né? E presos à essa zona de conforto e no dia dia que vai nos consumindo aos poucos, corpo e mente pedem um descanso. E precisamos estar atentos aos sinais!
Alerta exaustão
Quem não se sente (ou já se sentiu) sobrecarregada! É o trabalho, a carreira, os estudos. Temos que pensar ainda em casa, no marido/namorado, nos filhos, no gato, cachorro, papagaio e periquito. Ahhh e além disso, não podemos esquecer de se alimentar bem e fazer atividades físicas.
E a sensação é essa aí: 
As mulheres estão  de alguma forma tentando buscar um equilíbrio entre vida profissional e pessoal, uma batalha interna sem vencedores. E a sociedade não facilita né? Viver ocupada tornou-se culturalmente bem visto. Lazer virou coisa vulgar. Algo quase errado.
Essa rotina acelerada tem trazido muitas preocupações. Você sabia que 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros sofrem com a Síndrome de Burnout (ou síndrome do esgotamento profissional)? É um problema mundial, que, segundo especialistas, aumenta a cada ano e causa danos à saúde e à economia. Pessoas que trabalham mais de 11 horas por dia são quase 2,5 vezes mais propensas a ter um episódio depressivo do que aquelas que trabalham de sete a oito.
49% das pessoas com a Síndrome de Burnout desenvolvem depressão e 92% dos afetados se sentem incapazes de trabalhar. No Brasil, a falta de produtividade causada pela exaustão gera prejuízo de 3,5% do nosso PIB.
Essa história aqui, pode te inspirar a querer fazer uma pausa na sua rotina antes que você se torne uma dessas estatísticas aí de cima.
Il Dolce far niente
Essa famosa frase italiana significa “desfrutar do prazer de fazer nada”.
Parece loucura, né? Mas que tal colocar no seu dia a dia um tempinho pro querer não fazer nada!
Encontre algo que te faça bem e que faça tua mente descansar. Pode ser tanta coisa:
♦Encontre as amigas para dar risada e jogar conversa fora.
♦Chegue em casa, tire os sapatos e beba uma taça de vinho.
♦Talvez seja até mesmo cansando o corpo que a gente vai conseguir relaxar. Faça luta, academia, natação ou ligue o som de casa e dance.
Sabe o seu horário de almoço? Torne ele o seu momento de pausa…escolha um ambiente agradável para comer, quem sabe ir ao parque depois para ficar olhando a paisagem.
No trabalho, quantas vezes temos aquele chamado “bloqueio criativo” acontece?
Às vezes, a melhor maneira de aumentar a sua criatividade e produzir algo melhor é fazer uma pausa. A mente humana precisa de períodos de inatividade para gerar novas ideias, resolver problemas e imaginar a próxima grande coisa. Então, coloque a cabeça para fora, dê uma volta no quarteirão, tome um pouco de ar fresco. Mudar o cenário é a melhor maneira de impulsionar o processo produtivo.

É preciso, mesmo que por breves instantes ao longo do dia, parar. É preciso sentir o prazer de fazer nada, sem cobranças, sem pressa, sem olhar o relógio, sem culpa.

É preciso dar um tempo a nós mesmos.

Temos esse direito, sim, de não querer fazer nada.

 

Beijos Babi e Paty!
Comentar
Página 2 de 311234...102030...