Carreira, Comportamento

AUTOESTIMA NO TRABALHO

Espelho, espelho meu!

Antes de ler este post pare diante do espelho e faça um exercício sincero com você mesma. Diga dez qualidades suas. Aponte também pelo menos cinco partes do corpo que lhe agradam. Observe ainda se é capaz de contabilizar mais pontos positivos do que negativos durante seu dia. Lembre o nome de cinco amigos que não são colegas de trabalho. E, com honestidade, assuma seus erros mais recentes.

Olhar-se no espelho disposto a fazer uma autoanálise é o primeiro passo para resgatar a autoestima. Observar-se e perguntar “o que há de melhor em mim” é um caminho para mudar o ponto de vista sobre quem você é, iniciando o processo de auto conhecimento.

Autoestima nem alta e nem baixa

Não é tão simples assim definir autoestima! Para uma pessoa pode significar uma coisa e para outra algo totalmente diferente!!!  Além disso, muitas pessoas acreditam que a autoestima é uma quantidade: quanto mais alta melhor. 

Mas, o que se sabe é que a autoestima envolve a integração de um tripé formado por pensamento, sentimento e ação. que na verdade podemos falar de 4 tipos de autoestima:

Cerca de 55% dos brasileiros se magoam facilmente, temem a rejeição, se culpam demais, têm medo de desagradar e têm necessidade de aprovação. Todas essas são características da autoestima frágil, um problema bem mais comum do que a autoestima baixa. 

Talvez o ponto mais preocupante seja o fato de que quase sete em dez (71%) mulheres e meninas se sentem pressionadas a nunca cometer erros ou a demonstrar fraqueza segundo a pesquisa Dove Global Beauty and Confidence Report.

No ambiente de trabalho, ela é o grande inimigo do processo de feedbacks,  já que a tendência é magoarmos com eles ao invés de usarmos as informações para evoluir. Olha que legal essa matéria sobre como reagir a um feedback negativo .

A autoestima é o “eixo central” da mente. Quando esse eixo é frágil, aumenta muito a chance de se desenvolver problemas emocionais maiores, como depressão, bipolaridade, burnout (esgotamento emocional).

E sabe o que você pode fazer sobre isso?

Mude o foco

A elevação da autoestima é um processo gradual. Ângela Leggerini de Figueiredo, especialista em Psicoterapia Cognitiva e Comportamental e professora da Faculdade de Psicologia da PUCRS, conta por onde começar.

Tenha uma visão realista (nem pessimista nem otimista demais) de si mesma, visando metas atingíveis.

Tenha claro onde quer chegar e o que quer comunicar através da sua imagem física.

Mantenha-se o mais fiel possível aos seus objetivos, levando em conta que todo ser humano é passível de falhas.

Dê ao trabalho a dimensão que ele realmente tem na sua vida, sem depositar nele toda e qualquer razão para felicidade ou infelicidade. Seu trabalho é parte da sua vida e não sua vida toda.

Tente afastar-se de lógicas 8 ou 80: ou sou perfeita ou não valho nada.

Lembre-se: sempre que nos comparamos a alguém só enxergamos o resultado final e não o processo que a pessoa passou para alcançar o objetivo.

Trabalhe o seu Mindset de Crescimento

Confusa?? Calma, já vamos te explicar!

 O mindset de crescimento é o que nos faz avançar e acreditar que podemos nos aperfeiçoar naquilo que acreditamos não sermos bons ainda. As pessoas não apenas buscam o desafio, mas prosperam com ele. Quanto maior o desafio, mas elas se desenvolvem. 

O que estamos querendo dizer é que precisamos passar por uma mudança profunda na maneira de pensar para que possamos potencializar a autoestima no trabalho. Se você muda a sua maneira de pensar, você muda a sua maneira de se sentir e, por consequência, muda o que você consegue fazer.

Olha que legal esse vídeo sobre o poder da mentalidade de crescimento.

Então, ao invés de ficar esperando o seu chefe ou a empresa que você que você trabalha fazerem alguma coisa, seja você o agente de transformação.

Acreditar que você é capaz de mudar o seu mindset vai trazer ainda mais confiança e este olhar diferente é necessário. Sabe aquele feedback negativo que você ficou remoendo por horas? Que tal trabalhar o seu mindset e entender as situações difíceis como oportunidades de crescimento e aprimoramento?

 

Quer saber como anda o seu o mindset: clique aqui e faça o teste gratuitamente!

 

O sentimento de pertencimento

Nos últimos anos, os valores motivadores para uma pessoa ter autoestima no trabalho mudaram completamente. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Globoforce Work Human apurou o que faz os funcionários mais felizes e o curioso foi que fatores que há anos eram considerados importantes (compensação em dinheiro, reconhecimento financeiro ou benefícios) não aparecem nem entre os top 5. 

Quer saber se você se identifica? Olha aí:

1) O sentimento de pertencer: sentir-se parte de um time, grupo ou organização é o que mais gera felicidade entre os profissionais. Mais do que isso, os profissionais que sentem um forte senso de pertencimento têm uma performance superior, contribuem além das expectativas, e também estão menos propensos a pedir demissão.

2)O sentimento de propósito: entender porque o trabalho está sendo feito e porque é importante.

3) O sentido de realizaçãoem relação ao desempenho e satisfação do trabalho que foi feito

4) A sentimento de alegria: diz respeito ao prazer ligado ao ambiente de trabalho e ao trabalho em si.

5) O sentimento de vigor: que é a presença da energia e entusiasmo no trabalho.

Fica a dica aí empresas

Para criar esse ambiente positivo, é fundamental a figura de um líder (já falamos por aqui sobre isso). 

Segundo pesquisadores da Havard e da Stanford, um chefe ruim pode fazer tão mal à saúde quanto ser um fumante passivo. Mais de 75% dos profissionais americanos que foram entrevistados nessa pesquisa, disseram que seus chefes eram a pior parte de seus trabalhos.

Quando os líderes estão comprometidos a criar condições favoráveis para o desenvolvimento e o vínculo emocional entre funcionário e a organização o benefício é de ambas as partes.

 E o resultado? 95% dos funcionários com uma experiência de trabalho positiva têm atitudes assertivas e realizam um maior esforço voluntário, contra 55% daqueles que não encontram esse estímulo no trabalho.

 

Quer saber mais sobre como motivar as pessoas no ambiente de trabalho? Então clique aqui e aqui e faça a diferença na sua empresa!

 

 Então, lembre que o que realmente fará com que a sua autoestima no trabalho melhore depende, primeiramente, de você!

Assuma a responsabilidade do que você quer para sua vida.

Perceba o aqui e agora como uma oportunidade de fazer diferente.

Ninguém pode fazer por você, a mudança é sua!

Comentar
Página 1 de 281234...1020...